O Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (FBSSAN), criado em 1998, articula pessoas, organizações, redes, movimentos sociais e instituições de pesquisa na luta pelo Direito Humano à Alimentação. Busca sensibilizar para uma visão mais ampla da questão, trabalhando com variadas perspectivas do sistema alimentar: produção, processamento, abastecimento e consumo.

O FBSSAN tem criado espaços de interação entre sociedade civil e poder público, a fim de uma efetiva implementação de legislações e políticas públicas locais, nacionais e internacionais. Ao longo dos anos, buscou incidir politicamente no Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea). E exerceu um papel estratégico na construção e aprovação no Congresso Nacional da Lei Orgânica de SAN (Lei 11.346/2006) e da Lei da Alimentação Escolar (Lei 11.947/2009).

O debate sobre a publicidade de alimentos também é central para o FBSSAN, que contribuiu para criação da Frente pela Regulação da Publicidade de Alimentos. O Fórum integra, ainda, a Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e Pela Vida. E, no campo internacional, se insere na Rede Regional de Soberania Alimentar e Nutricional (SAN) da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (Redsan-CPLP).

A cada dia, o FBSSAN se empenha na intersetorialidade para construção de suas ações, envolvendo grupos ligados à saúde, meio ambiente, nutrição, direitos humanos, reforma agrária, agroecologia, agricultura familiar, gênero, economia solidária, educação popular, dentre outros.

Acronym
FBSSAN
Focal point
(55) (021) 2178 9400

Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional Resources

Displaying 1 - 1 of 1
Manuals & Guidelines
August 2016
Brazil

Muito oportuna e elucidativa essa publicação do FBSSAN que me foi dada a honra de apresentar. A biofortificação de alimentos tem se destacado entre os temas do crescente debate nacional e internacional no campo da nutrição, aí incluída sua relação com a agricultura. Como é usual em se tratando dos alimentos, este debate é permeado por interesses de várias ordens, sobretudo econômicos, com a apropriação de significados acompanhada do tradicional apelo à gravidade dos problemas (fome ou deficiência de nutrientes) que clama por soluções urgentes e milagrosas.